Será que existe uma fórmula para a saúde, para o emagrecimento, dentro de um mundo cada vez mais gordo e obeso?

Será que só diminuir calorias e aumentar o gasto energético, basta? Será que tem passos a seguir, fora os que você já conhece? Existe algo além de alimentação, exercícios físicos e treinar a mente? Leia este artigo até o fim para descobrir.

Se você quer se aprofundar um pouquinho na questão da mente, clique AQUI que eu já falei sobre isso em um outro artigo.

Hoje em dia, existe uma epidemia de crianças obesas com menos de 1 ano idade. Como conseguiríamos explicar este fenômeno? As pessoas estão mais sedentárias, você pode estar pensando. O problema nessa teoria é que a mesma teoria para o mundo cada vez mais obeso deve explicar o motivo dos bebês nascerem acima do peso. Porque está tudo ligado.

E então você acredita que a máxima de diminuir calorias e aumentar gasto energético é só o que é necessário?

Se sim, vamos lá. Entenda que o organismo é mais semelhante a um laboratório do que uma conta bancária. Mais importante do que contar calorias, é saber de onde estão vindo as calorias. Porque elas não são iguais. O que faz mais diferença é o tipo de calorias que está ingerindo, não a quantidade.

Educação física, alimentação, mente (que envolve todos os sabotadores do emagrecimento, neurociência, neuroplasticidade) não são os únicos pilares de um emagrecimento e uma vida saudável. Existe uma parte importantíssima chamada hormônios. E o que eu preciso que você saiba é que as alterações hormonais estão cada vez mais frequentes. Os hormônios estão cada vez mais alterados. E cada vez mais surgem “substâncias” em nossos alimentos que não conhecemos.

Uma das grandes causas da compulsão alimentar e da obesidade hoje é a leptina. Não a leptina em si, mas a falta dela, ou seu mau funcionamento. Porque ela é o hormônio da saciedade, ela que manda uma mensagem pro seu estômago dizendo “você está satisfeito, pare de comer”. Acontece que se ela não funciona no seu corpo, fica quase impossível controlar a sua compulsão por doces e carboidratos.

E que outros hormônios podem afetar o emagrecimento e uma vida saudável? Insulina, falta ou excesso de cortisol, TSH, t3, t4, t3 reverso, melatonina… A lista é longa.

O principal é que você esteja sempre de olho na tireoide, pâncreas e as adrenais, que são a primeira tríade que afeta o seu emagrecimento ou do seu cliente. Portanto, a fórmula para a saúde é ter essa tríade funcionando bem, porque se uma está trabalhando de menos, as outras serão sobrecarregadas até a exaustão. E aí é um passo para que as 3 parem de funcionar ou funcionem muito pouco de uma vez por todas.

Se você busca uma vida saudável e o emagrecimento, ou se você quer descobrir como ajudar o seu cliente de forma íntegra, unindo a saúde física, mental e emocional,esteja comigo na Formação em Saúde Integrativa Sistêmica – Master Health Coach. Para mais informações, é só clicar AQUI.